Arquivo da categoria: Hábitos Saudáveis

SORTEIO – CAMISETA ECOLÓGICA DA PICARD… PARTICIPE!!!

Padrão

Olá queridos e queridas!

Depois de um tempinho em off aqui do blog, volto com uma novidade prá lá de especial!

Lembram-se da loja PICARD, que faz aquelas camisetas super bacanas de material altamente sustentável como PET e algodão orgânico? Pois é! Conforme prometido, vamos sortear uma camiseta aqui pelo blog!

A camiseta sorteada é feita de PET (salve a reciclagem!), com uma estampa “Batman e Robin” especialmente criada pelos designers da Picard.

É essa aqui, ó:

Mas você também pode optar pela masculina:

E vamos ao que interessa! Para participar do sorteio, basta:

SE INSCREVER PARA O SORTEIO e depois COMPARTILHAR aqui:

https://www.facebook.com/GuiaInstintoVerde/app_165114686916599

Lembrem-se: a inscrição será feita somente pela página do facebook do Guia Instinto Verde!

Para que o sorteio tenha validade, temos que atingir um número mínimo de 40 compartilhamentos!

Curta também as páginas da Picard no facebook (http://www.facebook.com/lojadapicard) e do Guia Instinto Verde (https://www.facebook.com/GuiaInstintoVerde)

Boa sorte!!!

SALVE A RECICLAGEM DA BENEDITO CALIXTO!

Padrão

São Paulo tem poluição, tem garoa, tem trânsito e tem gente estressada… Mas também tem muita gente divertida, de bem com a vida e que valoriza o bem estar e a natureza!

Passeando pela feirinha de artes e antiguidades da Praça Benedito Calixto, que acontece todos os sábados em São Paulo, me deliciei com tanto reaproveitamento, reciclagem e criatividade!

A cada pessoa que eu pruziava por lá, eu descobria uma maneira mais legal que a outra de ganhar dinheiro, exercitar a criatividade e ficar de bem com o Planeta.

Foto retirada do blog “As decoradoras

Primeiro conheci mãe e filha que costuram que é uma beleza: Anelie e Schinaider. A filha cria e pinta e a mãe, costura. Os vestidos, calças e blusinhas que são vendidos vêm dentro de uma bolsinha de retalho de tecidos reaproveitados, super charmosa e original. Se quiser conhecer mais essas duas talentosas, visite o blog http://meus3pontos.blogspot.com.br

 

Andando mais um tiquinho, achei uma japonesinha craque em origamis de tecido. Thaís Kato cria porta-moedas, carteiras e tsurus em tecido sem usar costura nenhuma. O legal é que retalhos de tecidos podem ser transformados em um monte de coisas legais com essa técnica. Veja no site dela: http://thaiskato.com.br/

E quem disse que latinhas de alumínio não podem virar verdadeiras joias? É isso mesmo! Descobri um autor de joias ecológicas chamado Arthur Lewis. Ele, psicólogo, junto com sua companheira, professora de português, criam e dão vida a muitos materiais achados no lixo, tais como  as latinhas de refrigerante e cerveja, circuito de computador e madeiras de demolição.

Olha a super joia com super desconto que comprei:

Na feirinha, me chamou muito a atenção a proposta da marca Picard. Eles começaram resgatando a troca de bilhetinhos pelas pessoas, tão usados há alguns anos, antes do boom do orkut e facebook. As mensagens destes bilhetes, além de muito espirituosas, são representadas por pictogramas. Depois veio a ideia de roupas ecologicamente corretas e que passassem boas mensagens por meio de suas estampas. Assim, a Aline (uma das donas da empresa) junto com uma designer criaram estampas de pictogramas em camisetas feitas com garrafas PET ou algodão orgânico.

Não pude resistir a tanta criatividade aliada à uma proposta tão bacana de reciclagem e preservação do meio ambiente e garanti logo uma camiseta do Chaves pra mim, feita em algodão orgânico com amaciante de cupuaçu e corante vegetal:

 

E a BOA NOTÍCIA é que iremos sortear uma camiseta PICARD  aqui pelo blog!

Aguardem que a promoção começa logo logo!!!  

Inté!

SEGUNDA SEM CARNE!

Padrão

Amanhã, segundona brava….

Pra quem come carne, neste domingo, dia dos pais, deve estar se esbaldado com uma feijoada ou um churrasquinho.

Que tal aderir à campanha da Sociedade Vegetariana Brasileira e ter um dia mais leve com o corpo e com a consciência?

Um único dia sem comer carne (isso inclui aves e peixes, hein!) pode causar um impacto positivo enorme no planeta!

Todos sabemos do aquecimento global que o desmatamento para criação de animais e o confinamento causam. Todos sabemos que estes animais são criados em condições de bem estar muito ruins. A Europa já tem legislação que proíbe a criação de porcas em gaiolas, que exige o aumento do tamanho das gaiolas de aves de postura, entre outras medidas que asseguram que os animais fiquem livre de sofrimentos evitáveis pelo homem (se quiser saber mais sobre estas medidas na Europa, clique aqui!).

Muitos artigos científicos têm provado os riscos da alimentação carnívora para o homem, favorecendo o estabelecimento de câncer, diabetes, entre outras doenças (leia aqui um artigo muito interessante da Universidade de Harvard).

E, além de tudo, existem ótimos restaurantes vegetarianos e de comida natural que você pode conhecer! Ontem mesmo descobri na Pampulha (Belo Horizonte) um restaurante que serve somente feijoadas. Lá você tem a opção de comer feijoada de frutos do mar, de frango e, o melhor, vegetariana! Não tem desculpa pra não se alimentar bem, né?

E se você preferir cozinhar em casa, vale a pena conferir as receitas indicadas pelo site “Segunda sem Carne” clicando aqui, ou as receitas super fáceis do “Cantinho Vegetariano” clicando aqui!

Inté!

PUFE DE GARRAFAS PET – PASSO A PASSO

Padrão

Depois de não ter mais espaço em casa para ampliar a minha horta vertical em garrafas PET, fiquei pensando no que fazer com o restante das garrafas que acumulei durante todo este tempo.

Vale lembrar que tive uma “senhora” contribuição do buffet Gourmeteria. Eles guardaram umas 200 garrafas pra mim. Valeu, Vinha!

Voltando ao “problema”… Eu já estava pensando em arranjar uns bancos ou pufes que ornassem com a hortinha, que pudessem ficar na chuva e que fossem ecologicamente corretos. Sendo assim, achei a solução!

E aqui está o passo a passo do primeiro de muuuitos pufes que farei para colocar no meu jardim, próximos à horta vertical:

Você vai precisar de:

  • 38 garrafas PET iguais (mesmo tamanho e cor);
  • uma tesoura;
  • um rolo de fita colante transparente larga (durex).

Passo 1 – Separe as garrafas que são iguais (as transparentes, as coloridas, as de 2 litros, as de 2,5 litros e assim por diante ). Lave-as bem e deixe secar invertidas para que não fique nada de água dentro delas:

Passo 2 – Forme duplas de garrafas iguais. Corte o gargalo de uma das duas: 

Passo 3 – Aqui está o resultado do corte feito em uma das garrafas: 

Passo 4 – Insira o gargalo recortado na garrafa:

Passo 5 – Aperte o gargalo até que fique bem encaixado no fundo da garrafa:

Passo 6 – Agora insira a garrafa inteira (não recortada) dentro da primeira garrafa (com o gargalo recortado):

Passo 7 – Repita os passos 2 a 6 com outras 18 duplas de garrafas:

Passo 8 – Com o durex vá juntando 3 duplas de garrafas, formando blocos:

Passo 9 – Junte os blocos de 3 com durex até formar o pufe, que ficará assim:

A Mafalda resolveu dar uma forcinha no quesito reciclagem e transformou o lixo em cama enquanto eu fazia o pufe:

… Porque o lema da Mafalda é “transformar lixo em luxo!”

Espero que tenham gostado!!!

Inté!

E A HORTA CONTINUA CRESCENDO…

Padrão

Queridos leitores,

hoje farei somente uma breve postagem para mostrar como a horta orgânica em garrafas PET tem crescido cada dia mais!

Também aproveito para deixar algumas pequenas dicas

Uma ótima dica (que descobri sem querer…) é plantar estas alfaces roxas:

Nelas vão brotando pequenos “galhos”. Aí, você pode ir cortando-os e, dessa forma, vai colhendo pequenos pés de alface sem ter que arrancar o pé inteiro. A planta rebrota em poucos dias sem que você precise substituí-la por uma nova muda. Veja no detalhe da foto os “galhos” que falei:

Outra hortaliça que cresce muito bem e que também pode ser podada (ao invés de arrancada), é a chicória.

Esta é a quantidade colhida de uns 4 pés de chicória:

E aqui está a quantidade colhida de 2 pés de alface roxa:

Estas são boas dicas pra quem mora em apartamento e quer plantar hortaliças, mesmo que em pequenos vasos! Toda semana tem uma boa quantidade de plantinhas pra você se deliciar. E o melhor: SEM AGROTÓXICOS!

Inté!

A FORÇA DO CAMPO

Padrão

Entre os dias 5 e 8 de julho, a Serraria Souza Pinto, em Belo Horizonte, recebeu a 7ª Feira de Agricultura Familiar de Minas Gerais (Agriminas).

E o Guia Instinto Verde esteve lá para conferir!…

por Diana e João

Imagem

O evento teve dois grandes objetivos. O primeiro foi colocar pequenos produtores a par das inovações no campo e em contato com o mercado consumidor, além de articular cooperativas de diversas regiões do estado de Minas Gerais. O segundo foi atrair e oferecer essa rica produção (nem sempre valorizada) para moradores da capital. A equipe da Agriminas estima que 50 mil pessoas tenham passado pelo local nos quatro dias da feira, que também promoveu palestras de capacitação para agricultores e shows de músicas regionais. Mas o destaque mesmo foi poder conhecer e comprar produtos trazidos de várias regiões, comunidades e associações.

Logo na entrada da feira, muitas barracas ofereciam quitutes mineiros de encher as vistas: beju, tapioca, pão de queijo recheado, rapadura, bolachinhas diversas e mais um bocado de gostosuras.  Além da culinária, o norte de Minas estava muito bem representado pelas famosas cachaças (a degustação foi muito bem apreciada pelos repórteres do blog).

Uma das muitas marcas de cachaças que puderam ser degustadas e compradas durante a Agriminas

Imagem

Barraquinha de biscoitos trazidos do Jequitinhonha

Imagem

Barraca de tapioca de Rio Pardo de Minas

Imagem

Doce de leite, licores e biscoitos de Senhora de Oliveira

Outro ponto positivo foi a possibilidade de interagir e prosear com esses produtores, verdadeiros guardiões de ensinamentos e modos de vidas transmitidos por muitas gerações. Andando pelos corredores, conhecemos Valter Soares, da Comunidade Caldeirão (Itinga). Por iniciativa própria, ele começou a fazer há muitos anos um banco de sementes de plantas da região ameaçadas de extinção. Como nos contou, certa vez foram a sua casa e lhe ofereceram R$ 15 mil pelas sementes. Seguro do valor do que faz, ele não só negou como devolveu para visitante importuno: “Pode levar suas pratas porque isto aqui é o meu ouro”. Hoje, toda a comunidade ajuda na formação do banco de sementes, que já conta com um imenso galpão.

Imagem

Seu Valter Soares, de Itinga, mostrando e vendendo as suas sementes

Imagem

Fotos da criação do banco de sementes de Itinga pela comunidade Caldeirão

E para representar iniciativas como essa e trabalhos de artesanato à culinária, muitas outras cidades estavam lá para dar sua contribuição e comercializar seus produtos, como Almenara, Paracatu, Rio Pardo de Minas, Virgem da Lapa, Capela Nova, Muzambinho, Alfenas, Itaúna…

Imagem

Cabaças e pimentas trazidas de Paracatu

Imagem

Patchwork das mulheres de Almenara

Imagem

O tear de Muzambinho

Imagem

Queijos e sorvetes feitos com leite de cabra por produtores de Alfenas

Imagem

Mudas de hortaliças também foram vendidas durante a feira

Imagem

Olha a Diana mostrando o artesanato em madeira de Itaúna

Apesar de a feira ser voltada para a agricultura sustentável e, principalmente, familiar, o Guia Instinto Verde sentiu falta de estandes que mostrassem e valorizassem a produção de orgânicos. No dia da visita que fizemos à feira, apenas um estande mostrava e vendia café orgânico de Piedade das Gerais, sul de Minas.

Imagem

O delicioso café orgânico produzido no sul de Minas

  • O olhar do blog:

O Guia Instinto Verde aprovou e achou valiosa a iniciativa de reunir comunidades e famílias de produtores. Muito provavelmente, quem passou por ali não tem contato direto com trabalhos que carregam valores e técnicas em desuso nesta época de produção em larga escala – que tirou muitas famílias do campo, deixando-as em condição de pobreza nas cidades, e diminuiu radicalmente a qualidade daquilo que chega às nossas casas.

Portanto, para garantir a qualidade de vida do nosso presente e futuro, o primeiro passo é simples: repensar a relação que temos com o campo e buscar as lições que vêm dali, como a simplicidade, o respeito e trabalho em comunidade..

Inté!

DE BEM COM A VIDA E COM A CONSCIÊNCIA

Padrão

O Guia Instinto Verde visitou o 5º Festival Andando de Bem com a Vida e constatou alternativas de práticas mais saudáveis de consumo e convívio

por João Marcos Veiga

Sob a sombra das palmeiras imperiais, um grupo aguarda para experimentar uma sessão de quirofonética, prática terapêutica que busca promover o equilíbrio humano, já outro faz fila para canalizar energias através do reiki. A poucos metros dali, um senhor recebe explicações sobre como a pecuária gera diretamente 80% do desmatamento no bioma amazônico e é responsável por 18% das emissões globais de gases causadores do efeito estufa. No ponto oposto, ouvidos atentos para um jovem que contextualiza as principais utilizações de placas solares feitas de células fotovoltaicas. Já do lado de fora do jardim, jovens mulheres tiram os calçados para entrar na tipi-tenda Pachamama, semelhante a uma oca indígena. Ali dentro, elas discutem as “cartas do caminhado sagrado”, parto domiciliar e questões ligadas a feminilidade. O detalhe é que a tenda foi montada sobre o asfalto em uma das vias mais movimentadas de Belo Horizonte.

No último fim de semana, entre os dias 29 de junho e 01 de julho, a Praça da Liberdade e algumas ruas de seu entorno receberam o 5º Festival Internacional Andando de Bem com a Vida. O objetivo do evento é “multiplicar idéias que despertem a consciência através do reconhecimento de práticas e saberes culturais que visam a saúde tanto para o indivíduo quanto para a sociedade e o Planeta Terra”. E a proposta não ficou apenas no discurso subjetivo. Os 47 estandes montados na praça apresentaram uma diversidade de alternativas de consumo sustentável e de práticas que direcionam para um convívio mais saudável, espiritualizado e inteligente em nosso dia-a-dia. Com uma programação totalmente gratuita, o tom do encontro não foi de partidarismo ou catequização de ideologias, mas sim de liberdade para conhecer e experimentar.

A prática do reiki é aplicada gratuitamente nos participantes da feira

O universo feminino é discutido dentro da  tipi-tenda Pachamama

    A Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) convidava para a “segunda sem carne – descubra novos sabores”. Muitos estabelecimentos já aderem ao programa de oferecer um cardápio sem carne nesse dia da semana, como forma de estimular uma refeição mais saudável e condizente com os dilemas ambientais. Já o projeto Espiralixo ensinava como criar uma caixa digestora para transformar o lixo orgânico caseiro em adubo natural (húmus). Espaços ligados a universidades apresentaram novas tecnologias sustentáveis, ministraram oficinas e distribuíram mudas de árvores. Palestras de antroposofia, meditação, aulas de yoga e ensinamentos de Seicho No Ie propunham uma expansão da mente baseada em conhecimentos milenares. Técnicas de artesanato em grupo produziam belas e coloridas mandalas. Instituições e empresários trocavam experiências da agroecologia em uma feira com direto a showroom.

A artesã e astróloga Alexia ensina a fabricar o Olho de Deus – Si’kuli (olha a dona do blog sentadinha ali aprendendo!)

O festival, que acontece anualmente, também oferece um agradável espaço de convivência. Famílias, namorados e amigos curtiam a tarde de outono experimentando deliciosos salgados integrais e fazendo compras de alimentos orgânicos. Durante todo o dia, uma programação musical trouxe shows de artistas compromissados com a temática do evento, como Marcus Viana e Gabriel Guedes.

No espaço do Centro de Estudos Védicos e Bhakti-Yoga Hare Krisna, cantos e palavras sagradas eram evocados pelos praticantes, que portavam vestimentas de cores fortes e tocavam instrumentos típicos, como o bhajan. A palavra “mantra” significa ‘mente” (man) e “libertação” (tra).  A variedade de estilos, roupas e comportamentos tanto do público quanto dos responsáveis pelos estandes deixava claro que não existem regras a serem seguidas, mas sim uma urgência de se discutir os rumos da existência em sociedade.

As tendas de quitutes venderam produtos vegaganos e orgânicos, tais como sucos com leite de arroz e agave e esfirras integrais de folhas verdes e castanhas. Tudo uma delícia!

O Guia Instinto Verde verificou no encontro que um comportamento mais consciente já não está mais fadado à resistência e ao isolamento. Através do 5º Festival Internacional Andando de Bem com a Vida é possível ver a existência de grupos que se articulam, contestam modos dados como únicos pelo capitalismo e apresentam alternativas ao alcance de todos (um marmitex de comida vegetariana e um site que permite escolher e receber verduras e frutas orgânicas em uma cesta na comodidade de sua casa) . Passeando pela praça mais famosa de BH, constatamos que a liberdade caminha lado a lado com a responsabilidade, seja na hora de se alimentar, se deslocar ou escolher um estilo de vida.

* Acesse o site do festival e conheça melhor as instituições, ONGs, empresas e grupos ligados ao evento.